24 junho 2010

Relato do nascimento do Dimitri


O dia 14/06/2010 começou como todos os meus últimos dias
Tinha passado a noite anterior em claro, com muita dor de cabeça e ao medir minha pressão tive uma surpresa, estava 16 x 9 e não baixava.
Minha consulta estava marcada para 11:40, era minha ultima consulta onde iríamos marcar a data do parto.
Entrei e avisei a medica sobre minha pressão, ela viu meus exames, meu US e mediu minha pressão, qdo voltamos pra sala ela já me avisou q faria o parto naquele dia.
Confesso q não fiquei surpresa, meio q já esperava por isso e na hora me arrependi de não ter depilado minha perna... novamente fui mandada do consultório direto pra maternidade, com perna cabeluda, unha de tatu e o cabelo do Hagrid.
Avisei  a todos q meu Dimitri nasceria naquela noite, marcamos o parto pras 22h. Sai do consultório, almocei numa padaria com meu pai... e como ainda grávida, precisei ir ao banheiro... pedi a chave no caixa e o cara me entregou um toco de cabo de vassoura com uma chave pendurada... o banheiro ficava 3 estabelecimentos depois, mas não tive coragem de usar, devolvi o toco, almocei e lá fui eu pra Pró Matre me internar
Meu pai foi pra casa, André já tinha buscado a Sabrina na escola e estava em casa arrumando as coisas.
Fiquei sozinha no quarto até q minha amiga querida, a Thai, chegou pra passar o dia comigo. Mais pro fim da tarde chegaram meu pai, minha mãe, André, Sabrina e minha irmã com meu cunhado.
Eu não estava nervosa, já tinha tido meu momento de pânico naquele dia qdo de uma só vez, a enfermeira da Gilette veio me depilar (confesso q quase pedi pra ela estender o trabalho e depilar minhas pernas tbm), outra veio por o soro e outra tirar sangue e me deixaram lá, raspada, furada e pelada...

Por volta das 21h vieram me buscar pra levar pra sala de parto e ai foi aquela sucessão de acontecimentos: iodo gelado descendo pelas costas e fazendo arrepiar até os cabelinhos do dedão do pé, agulhada nas costas, dormência na perna... dali a pouco André entrou na sala, feliz q nem um ganhador da mega sena acumulada, senti aquele cheiro horrível de galinha queimada e começou a carnificina!
Minha cicatrização da cesárea anterior estava péssima, demorou o dobro do tempo pra médica conseguir abrir td, Dimitri estava alto e deu muito trabalho pra tirá-lo de lá. Eu me sentia a bacia de uma batedeira de tanto q mexeram dentro de mim e de repente André grita “Eu to vendo um monte de cabelo!!” e ai aquele choro forte, meu e do Dimitri!
Meu garoto nasceu perfeito, lindo e berrando às 22:19, com 3,740kg e 49cm! Teve apgar 9 – 10!

Minha médica na hora disse q ele parecia comigo, mas a verdade veio à tona 5 minutos depois qdo mostraram ele pra mim! Parecia q eu tinha  acabado de re-parir a Sabrina! Dimitri era IDENTICO a ela, só tinha a mais o pipi!
Limparam meu BB e o trouxeram pra mim, lindo!!! Eu me apaixonei mais ainda por ele e agradeci tanto a Deus por me dar essa benção e esse privilegio de ser mãe outra vez!
André em seguida o levou pra conhecer a família, já q eu não dei sorte de conseguir a sala de parto onde a família pode assistir. Me costuraram e fiquei ali, meio dormindo, meio acordada.
Qdo voltei pro quarto eram 2 da madrugada. A primeira coisa q fiz foi ligar no berçário pois estava doida pra pegar meu gordinho e ai tive a noticia... Dimitri estava na UTI por um desconforto respiratório!
Eu fiquei tão triste, não consegui mais dormir, cada vez q a enfermeira entrava no quarto eu pedia pra tomar banho pra ir ver meu filho.
Às 8 da manhã veio a enfermeira tirar minha sonda, eu nem pensei muito, já levantei, tomei banho e antes q ela conseguisse falar alguma coisa eu já tava lá na porta da UTI. Qdo entrei e vi meu gordinho na incubadora, com uma sonda na boquinha e soro na mãozinha eu senti uma dor tão enorme, parecia q tinham decepado minha mão... só senti dor maior qdo a enfermeira pegou ele e deu NAN num copinho. Eu fiquei estática vendo aquilo, não acreditando q estavam dando LA artificial pro meu BB se eu tinha colostro desde o 4º mês e meu peito tava cheio!
Sai dali por volta das 10, pra pegar meu marido pra ir vê-lo, meu coração despedaçado. Voltamos, e um pediatra muito fofo veio falar com a gente, me acalmou, disse q ele estava bem e q eu poderia voltar ao meio dia pra amamentar!
Ao meio dia em ponto eu estava lá, pronta pra dar um pouco de mim pro meu filho melhorar e vir logo ficar comigo. Ele não pegou o peito, eu insisti, ele pegou um pouquinho. Ao sair vi novamente a enfermeira com seu copinho maldito.
Voltei às 15 pra amamentar, decidida a proibir de darem LA pro meu gordinho.  Sentei e ele abocanhou o peito, sugou, sugou e eu quase explodo de felicidade!Ao sair dali perguntei pra enfermeira se eu podia falar com a pediatra e ela disse q só após as 16, voltei e perguntei se meu BB tava bem, ela disse q sim e q ia liberar ele da UTI pra observação e depois mandar pro quarto. Ai eu disse q não queria q dessem o complemento pois ele já estava mamando no peito, a médica acatou sem problemas, mas a enfermeira fez cara de cú.
Às 18h voltei pra amamentar e o garoto não queria saber de mamar, ai descobri q tinham enchido ele de NAN! Nossa, fiquei louca!
Questionei a enfermeira e ela respondeu q não podia deixar os BBS com fome, retruquei o pq delas não me chamarem pra amamentar e ela veio com uns papos e q ele teve hipoglicemia... OPA! Ninguém me falou isso! Onde estava o exame? E outra, se o colostro é basicamente água e açúcar, pra q o LA? Ao perceber q eu tinha um mínimo de conhecimento ela partiu pra ameaça, disse q se suspendesse o complemento e a glicemia dele caísse, ele voltaria pro soro!
Eu fiquei tão decepcionada, tinha a maternidade em alto conceito mas me senti agredida! Falei q eu voltaria pra amamentar dali a 3 horas e q não era pra dar complemento.
Voltei às 21h, às 0h, às 3, 6, 9 e meio dia! Meu menino mamou muito e eu nem liguei pra cara de fezes das enfermeirinhas acomodadas! Na mamada do meio dia o pediatra fofo veio falar comigo e me deu alta pro meu gordinho!!! 
À tarde ele veio pro quarto e passou o dia comigo e eu voltei a ter aquela sensação boa de q meu filho era meu de novo, q teria todos os meus cuidados.
Sabrina veio conhecer o irmão e ficou apaixonada por ele, todos ficaram
No dia 18 tivemos alta e desde então a vida tem sido peito e fralda! Dimitri é um amor de BB, dorme muito, quase não chora. Sabrina não teve ciúme, mas infelizmente o baby blues me atacou...

5 comentários:

Sou uma louca tempestade disse...

Vc sabe o quanto te considero amiga, guerreira, mãe exemplar, irmã! Esse meu subrinhu é sapeca demais, já que tinhamos combinado de passar a 2ª juntas...mas confesso que nada me deixa mais feliz do que estar ao seu lado num momento de agonia (pelas dificuldades) e de imensa alegria ao trazer o Dimitri ao mundo!Sou feliz por ter vc na minha vida nessa hora tão importante!Logo a Heloísa que estará chegando e, como eu desejo que nossos lados sejam ainda mais estreitos e fortalecidos!!Sua amizade é meu maior presente de Deus!
Te amamos muito e, amamos essa família linda!!

Sou uma louca tempestade disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Grasiela disse...

Flor querida, lindo o seu relato e emocionante, claro.
Obrigada por compartilhar mais um pouquinho de você nessas lindas palavras.
Quanto o Baby Blues, já vai passar, tenho certeza.

Força pra você, sempre!!!
Fiquem com Deus!

Beijos, Gra e Rowena!

Dani disse...

Rosi, mt lindo seu relato e engraçado (a parte da perna). O Dimitri é uma lindeza!
Um grande bjo pra vcs

Mamãe do Victor! disse...

Adorei seu relato Rosi!!
Vc descreve muito bem o momento q está passando,e como as coisas acontecem!!
O Dimi é uma riqueza de Deus,lindo e gordocho!!!
Parabéns!!!


up